Buscar
  • lucas03975

FH - CENÁRIO ECONÔMICO (jun/2021):


FH - CENÁRIO ECONÔMICO (jun/2021):


Assim como nos meses anteriores, o desempenho do mês de junho foi determinado pelo avanço do controle do COVID-19 bem como pelas políticas de estímulos dos governos. Os Estados Unidos e Europa, motores da economia mundial, continuaram com os fortes incentivos que, em conjunto com o avanço da vacinação, trouxe certo otimismo para o PIB global.

No cenário doméstico, visando conter a alta da inflação, o Banco Central elevou as taxas de juros para 4,25% a.a. na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). No comunicado ao mercado, o BC deixou claro que não será tolerante com o aumento do nível de preços, sendo possível, portanto, novas altas da Selic.


Em relação ao câmbio, a alta da Selic e a melhora das contas externas foram os grandes responsáveis pela valorização do real. O dólar em junho recuou 4,81%, marcando assim seu terceiro mês consecutivo de desvalorização. O CDI está com uma rentabilidade de 0,30% ao mês, o que leva a um acumulado de 2,27% em 12 meses.


A bolsa de valores iniciou o mês com forte otimismo, atingindo a máxima histórica de 130.776 pontos no dia 07/06. Porém, a apresentação da Reforma tributária pelo governo, mais especificamente no tocante à tributação dos dividendos, acabou prejudicando a performance do índice, que fechou o mês com 0,46% de alta. A alta no mês de junho se deve principalmente ao ingresso de capital estrangeiro na bolsa.


Além da CPI do Covid e da apresentação da Reforma Tributária, o cenário político teve algumas reviravoltas, como a demissão do ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles. Em relação a reforma tributária, estamos acompanhando seus desdobramentos, apesar de especialistas demonstrarem bastante ceticismo em relação à aprovação no Congresso.

Indicadores econômicos (30/06/2021)

Ibovespa: 126.801

SELIC: 4,25 % a.a.

Dólar: R$ 4,97

Euro: R$ 5,89


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo